Sua conta
  • 27/08/2012

Gasto com filhos pode superar R$ 2 Milhões

Início / Vida financeira / Gasto com filhos pode superar R$ 2 Milhões

Gasto com filhos

Gasto com filhos pode superar R$ 2 Mi

 
Entre a infância e a vida adulta, os gastos de uma família de classe A com o herdeiro pode superar os R$ 2 milhões, segundo revela estudo realizado pelo Invent – Instituto Nacional de Vendas e Trade Marketing, organizado pelo presidente do Instituto e professor da ESPM, Adriano Maluf Amui.

De acordo com o levantamento, que considerou os gastos do nascimento até os 23 anos, as despesas que envolvem educação,  incluindo, entre outras coisas, alimentação escolar, transporte, cursos diversos, material didático e mesada,  são as que mais pesam no bolso das famílias de alta renda, somando R$ 703.644, o que equivale a 34% do custo total.

Por ano de vida, a faixa etária dos 20 aos 23 anos é a que mais gera gastos para a família, cerca de R$ 122.107 anuais, ou R$ 10.176 mensais. No primeiro ano de vida, o gasto mensal de uma família de alta renda com o bebê é de R$ 5.090, o que soma R$ 61.080 em 12 meses.

 

Outras faixas de renda

Com exceção da classe D, na qual o principal gasto é o que envolve as despesas com moradia, nas outras faixas de renda os gastos com educação também são os que mais pesam, conforme é possível observar na tabela a seguir:

Custo de um filho
Gastos Classe A Classe B Classe C Classe D
Fonte: Invent – Instituto Nacional de Vendas e Trade Marketing
Moradia* R$ 345 mil R$ 298.200 R$ 61.400 R$ 28.800
Educação * R$ 703.644 R$ 365.900 R$ 185.100 Nulo
Lazer & Entretenimento* R$ 421.024 R$ 94.800 R$ 38.800 R$ 4.800
Outros* R$ 616.934 R$ 189.200 R$ 121.800 R$ 20.100
Total R$ 2,086 milhões R$ 948.100 R$ 407.140 R$ 53.700
*Moradia: alimentação, babá, energia, telefone, TV a cabo.
* Educação: alimentação escolar; berçário/ ensino fundamental; médio e universidade; cursos diversos; materiais didáticos, livros; mesada e transporte.
*Lazer & Entretenimento: academia, clube e associações; cinema, teatro e shows; festa de aniversário; viagens, férias e passeios.
*Outros: reserva financeira, saúde, tendências e vestuário.
Planejamento

Ainda que o custo para criar um filho seja alto, pais e mães não devem se desesperar para manter as finanças em dia. De acordo com Amui, para que as contas não entre no vermelho com a chegada de um novo membro na família bastam alguns ajustes na rotina financeira do casal.

  • Faça um simples controle de gastos; pois quem controla consegue planejar melhor;
  • Tire proveito das liquidações;
  • Faça a família se envolver no planejamento financeiro;
  • Lembre-se: cheque especial não é salário; portanto não conte com esse dinheiro ao organizar o orçamento;
  • Renegocie suas eventuais dívidas;
  • Poupe: para poupar, é só começar; com uma aplicação mensal, por exemplo, é possível garantir do colégio a faculdade dos filhos;
  • Pense antes de consumir;
  • Evite compras com juros, a não ser que seja essencial no momento. Cuidado com a sedução do crédito, pois crédito só é amigo de quem sabe usar, planejar. Do contrário, pode virar um grande inimigo da economia;
  • Planeje-se. Tenha calma e pague à vista sempre que possível; os descontos do pagamento no ato costumam compensar a paciência.

“Filho não é um momento. Filho é para a vida toda. Por isso, deixe seu lado emocional criar o costume de relacionar-se com o filho para criar laços fortes, e paralelamente faça do planejamento racional um exercício rotineiro. Conter os impulsos consumistas às vezes não gera a sensação da alegria efêmera, mas com certeza poupa a família de futuros desgastes financeiros e, principalmente, emocionais”, finaliza o especialista.

.

Gasto com filhos pode superar R$ 2 Mi por Gladys Ferraz Magalhães  – Infomoney – 27.08.2012

A Par Mais Planejamento Financeiro tem um propósito claro: trabalhamos para auxiliar cada um de nossos clientes a construir sua tranquilidade financeira. Atuamos na área de planejamento financeiro pessoal, family office, gestão patrimonial, consultoria financeira para empresas e consultoria de investimentos.

Deixe seu comentário

Comentário(s): 0

×