Sua conta
  • 08/09/2014

Finanças Pessoais: MENOS pode ser MAIS

Início / Na Mídia / Finanças Pessoais: MENOS pode ser MAIS

finanças pessoais

Finanças Pessoais: MENOS pode ser MAIS

.

Muitos acreditam que acumular bens para uso pessoal é a receita ideal para uma boa vida. O sujeito ganha algum dinheiro extra e compra a primeira casa. Aí gasta fortunas com móveis planejados e cria um obstáculo a qualquer plano de trabalhar em outra cidade ou mudar para uma vizinhança mais aprazível. Depois, com outra sobra de recursos, adquire a sonhada casa de praia, que precisa de uma reforma, móveis novos, objetos de decoração – e lá se vão mais alguns milhares de reais.

O mesmo acontece na garagem. O carro precisa ser sempre o mais novo, modelo top de linha, o que exige compras financiadas e repetidas cada vez que encerra um parcelamento. Para manter um padrão de vida elevado, que inclui ainda outras comodidades próprias do mundo moderno, a família vive com o orçamento apertado e com dívidas, sem qualquer margem de manobra em casos imprevistos.

Aí vem o pior: quando as despesas se acumulam ou quando ocorre o “imprevisível” – um problema de saúde, uma súbita queda na renda -, os primeiros itens na lista de corte de despesas são os “mais fáceis”: gastos com lazer, restaurantes, almoços em família e amigos, cinema, viagens e outras coisas que dão prazer. Tudo para manter despesas difíceis de cortar: manutenções e financiamentos dos carros, barco, casas, entre outros. O sujeito torna-se refém da própria prosperidade!

Isso é ter qualidade de vida?

Na minha opinião, não!

O conforto é muito importante e não deve ser abandonado. Mas porque não optar por uma casa ou apartamento adequado para garantir o conforto da família, sem exageros? Por que não ter apenas uma residência – em vez de sustentar um estilo de vida caro? Manter uma casa é muito mais barato do que duas. Com o carro é a mesma coisa. O veículo precisa garantir conforto, não impressionar. Um carro mais barato, afinal de contas, paga IPVA mais baixo, tem manutenção e seguro mais barato, e sofre menos com a depreciação.

Quem leva uma vida mais “enxuta” pode dispor das “sobras” de dinheiro para passar férias onde quiser; pode poupar para ter uma aposentadoria confortável, pode formar patrimônio para deixar para os filhos, enfim pode um monte de coisas. Quem faz esta opção, consegue tem um dinheiro guardado, muito importante para evitar dores de cabeça quando surgem as emergências, que cedo ou tarde surgem para todos; esse é o ponto central das finanças pessoais.

Assim como na moda, muitas vezes na vida financeira o menos (uma estrutura enxuta, suficiente para a manutenção do conforto da família) é mais (tranquilidade no presente, segurança e conforto no futuro).

Revista Clube do Champanhe

.

Finanças Pessoais: MENOS pode ser MAIS por Annalisa Blando Dal Zotto – 08.09.2014

A Par Mais Planejamento Financeiro tem um propósito claro: trabalhamos para auxiliar cada um de nossos clientes a construir sua tranquilidade financeira. Atuamos na área de planejamento financeiro pessoal, family office, gestão patrimonial, consultoria financeira para empresas e consultoria de investimentos.

Deixe seu comentário

Comentário(s): 0

×