Sua conta
  • 24/07/2015

Carta do Gestor: julho/2015

Início / Carta do Gestor / Carta do Gestor: julho/2015

Par Mais Blog - situação econômica 2015

Atual situação econômica do Brasil

O momento é de dificuldade e a preocupação com relação ao futuro persiste. Os protagonistas e o roteiro são conhecidos. Os EUA seguem no eterno dilema: quando será o aumento das taxas de juros? A Europa enfrenta instabilidades, com a crise representada fielmente e literalmente como uma tragédia grega. Na China, o esforço é para manter o crescimento em níveis sustentáveis.

O Brasil é outro que segue roteiro conhecido, mas com novos capítulos que trazem emoções diversas. Os ajustes propostos pela equipe econômica do ministro Joaquim Levy parecem ser o remédio correto para reconquistar a confiança perdida nos últimos anos e trazer o balanceamento necessário à nossa economia. Mas dois pontos têm complicado muito o que já parecia difícil.

Está ficando claro que a situação fiscal do país é ainda pior do que se imaginava inicialmente. A piora muito rápida no mercado de trabalho pode levar a um aprofundamento da recessão – o que significa queda na arrecadação e perda do poder de compra da população. Ao mesmo tempo a inflação continua pressionada, tanto pelo ajuste dos preços administrados quanto pela desvalorização do Real frente ao Dólar.

O segundo fator a considerar, talvez ainda mais comprometedor, é a instabilidade política e a oposição acirrada que o governo vem sofrendo no Congresso e Senado. Se num primeiro momento a escolha da equipe econômica e as medidas propostas trouxeram alento, a dificuldade para aprovação das proposições tem sido vista como uma ameaça ao próprio ajuste.

Ao que tudo indica a oposição (muitas vezes praticada pelos próprios aliados) é uma resposta ao ‘estelionato eleitoral’ cometido nas últimas eleições e que tem por objetivo enfraquecer o governo e fazê-lo sofrer as consequências de seus erros. Quiçá até seja uma manobra ‘cirúrgica’ para que um processo de impeachment, que vem ficando cada vez mais provável, ocorra de forma inequívoca, com apoio popular – e minando qualquer chance de recuperação do PT para próximas eleições.

Fato é que a situação econômica do Brasil é extremamente delicada, principalmente em um cenário no qual a economia depende da política. Com governo fraco – sem apoio popular e dividindo o poder com o ministro da fazenda, o congresso e o judiciário – é praticamente impossível que sejam executadas as reformas necessárias. Apesar da visão de parte dos investidores externos ainda ser um pouco melhor do que o humor interno e do voto de confiança que tivemos por parte das agências de risco, sem uma definição clara da situação e dos rumos a serem tomados a confiança dos investidores e a complacência das agências de classificação de risco tendem a ser revistas.

Ninguém acreditava que seria fácil, mas talvez ainda não saibamos o quanto será difícil. A única certeza é de que teremos mais tempos difíceis pela frente. Precisamos sair logo deste círculo vicioso em que a falta de confiança causa o desaquecimento da economia, destrói o mercado de trabalho e renda, reduz arrecadação e força a adoção de mais ajustes.

É momento de se manter fiel a seu planejamento financeiro, fazendo controle de gastos pessoais e buscando boas oportunidades para investir o dinheiro. E com o sentimento se dividindo entre a saudade da bonança de alguns anos atrás e a torcida para que, depois da tempestade, venha a calmaria.

.

Atual situação econômica do Brasil por Alexandre Amorim, gestor de investimentos e sócio da Par Mais24.07.2015

A Par Mais Planejamento Financeiro tem um propósito claro: trabalhamos para auxiliar cada um de nossos clientes a construir sua tranquilidade financeira. Atuamos na área de planejamento financeiro pessoal, family office, gestão patrimonial, consultoria financeira para empresas e consultoria de investimentos.

Deixe seu comentário

Comentário(s): 0

×