Armadilhas do consumo

  • 24/05/2012
Página inicial - uso consciente - Armadilhas do consumo

Armadilhas do consumo

Armadilhas do consumo

.

Marcia Tolotti, uma competente estudiosa sobre psicologia financeira é autora do livro “As Armadilhas do Consumo”. Nele, ela disserta e explica as diversas causas do endividamento e dá várias dicas de como evitar ou sair dele.

Segundo a autora, “O endividamento financeiro pode ser consequência do chamado endividamento afetivo”. Devedoras de uma imagem melhor, de um corpo perfeito, de uma inteligência maior ou de uma dedicação mais intensa aos filhos, as pessoas consomem produtos na tentativa de suprir uma falta, uma angustia, que nunca é totalmente preenchida. 

Uma das armadilhas do consumo que a autora descreve é a incapacidade em lidar com frustrações. Os pais, na ânsia de dar “aquilo que não tivemos”, medo de traumatizar os filhos ou simplesmente por excesso de amor, tendem a dar “o mundo ao nosso alcance” para seus anjinhos. Porém, o efeito colateral desta atitude é que  a capacidade de lidar com frustrações não é estimulada e a consequência disso, quando se deparam com o dilema entre suportar a falta de algo ou se endividar, acaba prevalecendo a segunda opção.

Outra armadilha do consumo é ir às compras  quando estamos tristes, ansiosos ou bravos, porque nestas circunstâncias tendemos a minimizar o risco. Quantas vezes vemos pessoas iradas  ou depressivas cometendo loucuras no trânsito e assumindo riscos desnecessários que  jamais assumiriam em seu estado normal? Obviamente que nestas ocasiões elas acreditam que os riscos estão sendo devidamente calculados e aí muitos acidentes acontecem, não? Pois bem, se sairmos às compras nestas ocasiões corremos o risco de nos endividar, pois realmente acreditaremos  que daremos um jeito de pagar a conta. Portanto, nestas ocasiões convém arrumar outro programa e ficar bem longe do shopping.

Cilada bem comum também é o da lei da compensação. Quando nos deparamos com um objeto de desejo vem o pensamento: “Poxa, trabalho tanto que mereço gastar”. Porém esta conta terá que ser paga mais cedo ou mais tarde e passar a mão na nossa própria cabeça, pode nos provocar muitos problemas.

Como lidar com este dilema, enquanto vivemos numa sociedade que estimula um consumo tão acelerado e vigoroso?

A solução para romper com esta cultura do endividamento está em aumentar a capacidade crítica frente ao consumo, a análise dos sentimentos que interferem nas decisões e especialmente o conhecimento na área financeira.

.

Armadilhas do Consumo por Annalisa Blando Dal Zotto –  24.05.2012

Onde você está, aonde quer chegar?
Nossa função é tornar sua jornada mais rápida e mais rentável. Escolhemos com você os investimentos que precisa, alinhados às suas necessidades. Clique aqui.

Deixe seu comentário

Comentário(s): 2

       

Últimas publicações